Posts

Vamos falar sobre abdominoplastia?

 

Conversando sobre as indicações, a cirurgia e o que se pode esperar desse procedimento-desejo de tantas mulheres (e homens!)!

Dra, eu desejo…

Ano novo, vida nova!

Já imaginou que legal seria se existisse uma máquina que te fornecesse a cinturinha de pilão ou a barriga chapada daquela musa fitness, ou o narizinho empinado daquela atriz famosa, ou o peitoral definido daquele ator badalado?

Seria o máximo, né?

E é assim que muita gente enxerga a cirurgia plástica…quase como se a cirurgiã fosse uma maga suprema capaz de realizar os desejos de seus pacientes! Uma pena que não funcione exatamente assim!

Claro que, quando falamos de mudanças e de reparação da forma e da função corporal, a cirurgia plástica é a especialidade da medicina capaz de ajudar sim e muito! Mas a ciência não faz tudo sozinha…

Em primeiro lugar, precisamos entender que cada indivíduo vai ter uma base óssea (que também contribui para a forma corporal), e uma qualidade de pele (mais flácida, mais tonificada…), influenciada por uma herança genética e por um estilo de vida muito próprios de cada pessoa… por isso, cada um vai alcançar um resultado diferenciado (mais ou menos satisfatório com a cirurgia) e extremamente individualizado…não é como uma linha de produção em massa!

O paciente que busca pela cirurgia plástica deve compreender, acima de tudo, que a cirurgia tem que ser encarada como o complemento ou o pontapé inicial pra aquela pessoa que se comprometeu com um estilo de vida saudável!!! Afinal, depois da cirurgia, o resultado alcançado pela ciência deverá ser mantido e melhorado (por que não?) por você (com alimentação equilibrada, atividade física, hábitos saudáveis). Infelizmente, a cirurgiã não é a maga suprema dos quadrinhos que trabalha sozinha…nesses casos, médico e paciente são parceiros se comprometendo e trabalhando juntos!

Então, desconfie se te falarem que “o peito nunca mais irá cair com essa cirurgia” ou “você nunca mais vai engordar com essa lipo” ou “vai ficar igual ao da atriz famosa”.

Além do que, falamos de cirurgia e de medicina, e obviamente isso não é como um “tapa no visual”…implica na existência de riscos cirúrgicos, anestésicos, benefícios, necessidade de cuidados pós-operatórios, investimento financeiro, psicológico, emocional…e portanto, tudo isso deve valer a pena…por isso, a necessidade de discutir previamente com sua cirurgiã o que lhe incomoda, o que pode ser feito, quais os benefícios e limitações, as indicações dos procedimentos, como será o pós-operatório, medidas de segurança…o que somente a especialista em cirurgia plástica poderá discutir, com toda preparação necessária, com você!

Conscientização é o primeiro passo para o sucesso de uma cirurgia!

Então, vem conversar com a sua cirurgiã plástica!

Vai ser um prazer te receber!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

O que não pode faltar para sua abdominoplastia?

Você está super ansioso(a) se preparando para sua abdominoplastia e não sabe exatamente o que será necessário para o seu pós-operatório. Então, aqui vão algumas dicas de itens que devem ser incluídos no seu planejamento e que vão ajudar (e muito!) nessa fase:

  1. Malha cirúrgica/ malha compressiva/ malha pós-operatória: o uso desse item no pós-operatório é essencial, pois diminui o inchaço e ajudar a moldar a área operada, facilitando a cicatrização, além de dar apoio e conforto ao paciente; em geral, ela será utilizada por até 60 dias após a cirurgia;
  2. Meias antitrombo: item de segurança utilizado durante a cirurgia e nas primeiras semanas que seguem, para prevenir a trombose venosa profunda e a embolia pulmonar.
  3. Travesseiros triangulares: item para seu conforto! Acredite, essa dica você vai agradecer quando tiver que dormir mantendo a posição “curvada” e não precisar colocar uns cinco travesseiros nas costas pra dar altura…
  4. Órtese de umbigo: utilizada no pós-operatório quando as feridas já estiverem cicatrizadas, para modelar e deixar fundinho o umbigo, evitando o estreitamento do orifício umbilical, além de melhorar o aspecto da cicatriz neste local.
  5. Óleo à base de ácidos graxos essenciais: excelente para pele quando cicatrizada (ou quase cicatrizada); são absorvidos pela pele, formando uma camada de proteção que hidrata e facilita/ melhora a cicatrização.

É isso…gostou?

Não esqueça que cada profissional conduzirá o pós-operatório de suas cirurgias como julgar mais adequado a um resultado satisfatório, o que não impede você de se informar antecipadamente e conversar com a(o) sua(seu) cirurgiã(o) sobre os itens do seu planejamento!

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

Dra, a senhora faz hidrolipo???

Pergunta frequente no consultório de cirurgia plástica!

Descubra neste vídeo por que, na cirurgia plástica, não fazemos hidrolipo, mas sim lipoaspiração!

Espero que gostem!

Ainda com dúvidas?

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

 

 

 

 

Botox: por que aqui não vale o conselho “De graça até injeção na testa”?

Senta que lá vem história…falando sobre toxina botulínica.

Espero que gostem!

Dra, feijoada pode?

Você fez um jejum de 12h antecedendo a sua cirurgia (inclusive de água!) e “acorda” da anestesia sentindo fome. E agora? Como deve ser a alimentação no pós-operatório? O que está liberado? Feijoada pode? Essas são dúvidas muito comuns de nossas pacientes no cotidiano cirúrgico.

Dependendo da anestesia e do porte da cirurgia, uma dieta mais leve estará indicada no primeiro dia (sopa, água, gelatina, bolachas, chá, frutas), respeitando um intervalo de tempo após o término do procedimento, afim de que a(o) paciente esteja completamente acordada(o) antes de iniciar a alimentação. A alimentação deve ser iniciada de forma progressiva, com quantidades crescentes de líquidos e, em seguida, de sólidos, pois podem surgir náuseas nas primeiras 48h.

Sempre digo às pacientes que devem seguir uma alimentação “saudável” no pós-operatório, para repor as perdas do intra-operatório, diminuir o inchaço, facilitar o trânsito intestinal e auxiliar uma cicatrização adequada. Para isso, algumas dicas são fundamentais:

-Beber bastante água (no mínimo, 8 copos por dia): para compensar a perda de líquidos, hidratar o organismo e diminuir o inchaço; nesse sentido, a água de coco, rica em nutrientes também pode ser utilizada; Refrigerante não vale para hidratar (além de dar gases), tampouco os sucos artificiais/ de caixinha/ pacote (esses têm mais açúcar que os refris); dê preferência aos sucos naturais com moderação.

-Evitar a ingestão excessiva de sal, para que o sódio presente em sua composição e responsável pela retenção de líquido, não piore o inchaço; cuidado nesse sentido com os embutidos, defumados e molhos prontos;

-Evitar alimentos fermentativos que piorem os gases: é natural uma lentificação do trânsito intestinal após a cirurgia, com a retenção de gases, o que pode piorar com a ingesta de alimentos fermentativos; feijão, lentilha, grão-de-bico, repolho e massas são exemplos destes que podem intensificar o inchaço da barriga, gerando dor e desconforto abdominal, principalmente nos primeiros dias;

-Evitar bebidas alcoólicas, principalmente no primeiro mês de pós-operatório, para que não ocorra maior retenção líquida, com piora do inchaço pós-operatório; além de se tratar de fonte de caloria vazia (só engorda, sem trazer nutrientes relevantes para o organismo);

-O consumo de camarão deve ser evitado principalmente nos primeiros 21 dias: pois é!e isso não é só um mito popular (já existem estudos)! Esse alimento contém substâncias que estimulam um estado pró-inflamatório da pele, o que pode não só atrapalhar a cicatrização, mas também estimular a formação de quelóides e cicatrizes hipertróficas/altas; Alimentos ricos em acúcares e gorduras trans, como doces, salgadinhos, sorvetes, biscoitos recheados, fast food, congelados e carnes gordas também são patrocinadores da inflamação e devem ser evitados;

-Alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas (laranja, morango, acerola, kiwi), brócolis, espinafre, tomate e pimentão, são essenciais a formação de colágeno e a cicatrização, além de reforçar o sistema imunológico;

-As carnes brancas e as vermelhas magras contém proteínas, ferro e zinco (também presente em castanhas e nozes), que auxiliam a formação de colágeno e a cicatrização;

Lembrando sempre que a cirurgia plástica deve ser sempre encarada não como uma solução mágica, mas como parte de um programa de vida saudável, que certamente incluirá uma alimentação equilibrada e prática de atividades físicas, visando não só a beleza física, mas sobretudo saúde e qualidade de vida!

Ainda restam dúvidas? Converse com sua cirurgiã plástica!