Posts

Mamas diferentes após a gestação: Descubra como a cirurgia plástica pode ajudar você a solucionar essa situação

Suas mamas ficaram diferentes uma da outra após a gestação? O seu bebê só gostava de mamar de um lado e a mama “preferida” caiu mais ou ficou mais “murcha” em relação ao outro lado?

Embora um certo grau de diferença no formato e tamanho das mamas seja normal e aceitável, as mudanças desencadeadas pela gestação podem tornar essa diferença (de formato, tamanho, flacidez, posição) mais perceptível e incômoda!

Nesses casos, a cirurgia plástica pode ajudar a suavizar essa diferença e retomar a harmonia desta parte tão importante do corpo da mulher.

Em primeiro lugar, você deve saber que é necessário aguardar de três a seis meses após o fim da amamentação para realizar qualquer cirurgia na região. Isso garante que os níveis hormonais tenham sido normalizados, e que as alterações das mamas tenham se estabilizado (para melhor ou para pior).

Muitas são as opções cirúrgicas dentro da plástica que podem suavizar essa diferença e a opção para correção dependerá do tipo e tamanho das mamas da paciente.

Se a queixa maior é a queda das mamas em intensidades diferentes, mas o volume das mesmas é satisfatório e agrada a paciente quando posicionadas dentro do sutiã, a cirurgia terá como foco levantar as duas mamas, retirando um pouco mais de pele de um lado que do outro.

Se o que incomoda são os tamanhos diferentes das mamas, pode ser necessário o uso de próteses para deixar os volumes bem semelhantes; ou levantar as duas, reduzindo mais o tamanho da mama maior, para tornar as duas mais proporcionais.

Somente a(o) cirurgiã(o) plástica(o) será capaz de avaliar e dizer qual o tratamento mais adequado ao seu caso, considerando a sua anatomia, expectativas e desejos. Uma preparação prévia ao procedimento será orientada pela sua cirurgiã, como a hidratação do local a ser operado e atividade física, que  podem contribuir para resultados mais duradouros.

Ainda com dúvidas?
Converse com sua cirurgiã plástica! Vai ser um prazer te receber!

Quer mais dicas? Acesse www.rayssasauaia.com.br

Se você se queixa que o seu olhar parece cansado ou triste, este texto é para você.

Se você se queixa que o seu olhar parece cansado ou triste, ou se ouve com frequência das pessoas: “Nossa, você não dormiu? parece tão cansada…”, esse texto definitivamente é para você.

Os olhos são uma região central da face, impossível de não ser notada quando interagimos com alguém. Por isso que as alterações nessa  região se fazem tão perceptíveis com o passar dos anos.

Faz parte do processo de envelhecimento desenvolvermos um excesso de pele em pálpebras, bem como tornam-se visíveis e salientes as bolsinhas de gordura nessa região. Também é bastante comum ficarmos com uma depressão abaixo do contorno das pálpebras inferiores, deixando aquela olheira que você quase nem tinha antes agora mais marcada… isso sem falar que as sobrancelhas vão “caindo” e assumindo uma posição mais baixa que outrora. Mas calma, menina/rapaz…nada que não possa ser melhorado com todos os recursos disponíveis no campo da cirurgia plástica hoje! Afinal o cuidado e o amor próprio são para sempre não é mesmo? E é claro que se sentir bem consigo mesma(o) faz parte desse cuidado!

A blefaroplastia é a cirurgia que promove a remoção do excesso de pele e bolsas de gordura dessa região (tanto em pálpebras superiores como inferiores), promovendo um efeito  rejuvenescedor nessa área. As cicatrizes são posicionadas de modo a passarem despercebidas após a cirurgia, dentro da dobrinha da pálpebra superior ou rente aos cílios da pálpebra inferior.

Embora retire o excesso de pele e bolsinhas de gordura da região, a blefaroplastia não retira as rugas da pele, tampouco repõe o volume perdido com o envelhecimento (e que vai deixando aquela olheira mais marcada). Por isso, esse procedimento pode ser complementado com outros tratamentos não cirúrgicos para otimizar os resultados. Assim, se a queixa também é aquelas ruguinhas tipo “pés-de-galinha”, o botox ou a toxina botulínica pode ser um excelente recurso auxiliar, porque além de suavizar ruguinhas, pode “levantar o olhar” e arquear as  sobrancelhas (pois é!).

Agora se você acha que aquela olheira tá beemm marcada ou “afundou” mais ainda,os preenchedores de ácido hialurônico podem repor volume e hidratar naturalmente as regiões deprimidas, devolvendo aquele turgor da pele mais jovem.

Viu como a gente tem várias opções? Agora não tem desculpas pra não ficar com aquele olhar 43…louco por você!

Converse com sua cirurgiã plástica!

As Principais Perguntas sobre Dreno Pós-Operatório que Você Queria Fazer (E não fez!)

Sabe aquelas perguntas sobre dreno pós-operatório que você queria fazer e não fez?

(Porque teve vergonha, esqueceu ou não deu tempo).

Fizemos uma lista das principais questões!
(Com respostas!)

1)Dreno…afinal, para que serve isso?
O dreno pós-operatório, em geral, é um tubinho de plástico ligado a um frasco coletor que serve para retirar os líquidos retidos dentro da ferida operatória (sangue ou outras secreções).
Isso impede que as secreções presas acabem por infectar a área operada. Por isso, tão importante…

2)Quanto tempo vou ficar com o dreno?
Normalmente, o uso do dreno é interrompido quando não há mais saída de secreções.
Uma semana costuma ser suficiente para retirá-lo, mas existem variações.

3)Dói quando tira?(pergunta campeã!)
Eu não sei porque tanta paciente acha que o dreno dói para ser retirado…
Gente, relaxa, não dói.

4)Em quais cirurgias plásticas ele é necessário?
Sempre que o cirurgião julgar que haverá maior quantidade de secreções a serem drenadas.
Ele costuma ser utilizado em abdominoplastias, mamoplastias e até lifting faciais.

5)Vou dormir com isso?
Sim, e banhar, e andar…o dreno será seu fiel companheiro nos primeiros dias pós-operatório e exige cuidado e atenção como os antigos “tamagotchi” (aqueles bichinhos de estimação virtuais…
olha eu revelando minha idade kkkk).
O dreno deve ser mantido sempre com o clampe (uma trava no tubo) aberto e em posição abaixo do nível da ferida (para facilitar
a descida dos líquidos por gravidade). Também importante ver se o tubo não está dobrando e impedindo a descida.
Carregue o dreno junto ao corpo e cuidado se for pendurá-lo na hora do banho pra não esquecer, sair andando e arrebentar o ponto de fixação.

6)Eu pendurei no banho, esqueci, sai andando e arrebentou (Pois é)…e agora?

NÃO tente recolocar o dreno no lugar. Entre em contato com sua cirurgiã ou procure um pronto-atendimento de cirurgia.

7)Dra tenho muita preocupação com a limpeza da minha cirurgia. Posso lavar meu dreno?
NÃO. Você pode até higienizá-lo por fora com álcool a 70%, mas não lave nem coloque nada dentro do seu dreno. O mantra dos drenos é “ESVAZIAR, FECHAR, ANOTAR” (tipo “comer, rezar, amar” dos drenos).

8) Como assim Dra esvaziar? fechar? anotar?
Calma, menina. Separei um vídeo aqui pra facilitar essa parte.
O débito dos drenos (nome chique para “o quanto saiu de líquido) deve ser anotado todos os dias, pelo menos 2 vezes ao dia (podendo aumentar se estiver saindo mais líquido).
Para isso, você seguirá a sequência do vídeo:
-Fechar com o clampe o seu tubinho de plástico (sim, você estará de luvinhas);
-Abrir a tampinha do coletor;
-Despejar o conteúdo num copinho descartável e medir com uma seringa de 20mL quanto saiu;
-O conteúdo das seringas você jogará no vaso sanitário (melhor…);
-Não esquecer de anotar dia, horário e quanto saiu;
-Apertar o coletor e fechar a tampinha (cuidado pra não apertar com força e espirrar restinhos no coleguinha do lado que está cuidando de você);
-Soltar o clampe pro tamagotchi funcionar…

9)Cadê o vídeo Dra?
Tá no começo desse post…senta que lá vem mais história!kkk

Você tem mais alguma pergunta? Manda pra mim!
Vai ser um prazer conversar com você!

 

Os Erros que Você está Cometendo e Influenciam o Resultado da Sua Cicatriz.

Como você cuida da sua cicatriz? Será que você comete esses erros? Então, dá uma olhada aqui pra ver se você faz isso:

Erro nº1 – Movimentar excessivamente a região da cicatriz: movimentos repetidos ou tensões (esticar, forçar, colocar peso) na região da sua cicatriz podem resultar em uma cicatriz mais larga e esteticamente incômoda. Por isso, evite movimentar regiões operadas principalmente nos primeiros 15 dias e força-las por até 3 meses. Isso ajudará a constituir uma cicatriz mais fininha e agradável.
Erro nº2 – Aplicar aquele creminho ou produto que sua amiga/vizinha/parente te indicou: inúmeros são os produtos no mercado que prometem deixar a sua cicatriz maravilhosa, mas
somente o profissional estudioso das feridas (no caso, o cirurgião plástico) poderá te indicar o que é mais adequado ao seu caso. Observo muitos pacientes gastando bastante com produtos que não vão fazer diferença na evolução final da cicatriz. Então, consulte sua cirurgiã sobre o que ela acha mais interessante utilizar e evite gastos desnecessários.
Erro nº3 – Tomar sol: Sim, tomar sol quando se tem uma cicatriz em evolução é um erro muito comum e menosprezado. Mas, principalmente nos primeiros seis meses, esse ato simples pode
deixar sua cicatriz com manchas escuras, difíceis de serem tratadas e atenuadas!Por isso, evite o sol de maneira geral (e não só no lugar específico da cicatriz!) e utilize o
protetor solar (em rosto, braços e TODAS as áreas fotoexpostas).

Gostou? E você? Qual desses erros você cometia e nem sabia que influenciavam a sua cicatrização? Conta pra gente!

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia
#cirurgiaplastica
#trasformandoarteemsaude
#cirurgiaplasticanomaranhao
#cirurgiaplasticaemsp

Dra, eu virei um balão!!! Como desinchar no pós-operatório de cirurgia plástica?

Em primeiro lugar, você deve entender que o inchaço é um efeito completamente normal após uma cirurgia plástica. Toda cirurgia representa um trauma ao organismo, o que gera uma resposta inflamatória no corpo que resulta no inchaço. Essa resposta também é
individualizada para cada paciente, o que significa que alguns podem inchar mais do que outros (principalmente nos primeiros 21 dias). Mas não se preocupe, você não ficará assim para sempre…e aí vão 7 dicas que podem aliviar esse processo:
1- Evite calor, fogão e banho quente: o aumento da temperatura local pode piorar o inchaço; portanto, evite lugares e banhos quentes.
2-Cuidado ao consumir alimentos ricos em sal/sódio, como enlatados,embutidos e o sal propriamente dito. Procure ter uma alimentação saudável e beber bastante água, para “limpar” o organismo e diminuir a retenção de líquidos.
3-Use a malha cirúrgica por, pelo menos, dois meses após a cirurgia (retirar somente para tomar banho): ela não só ajuda a diminuir o inchaço, como também a “modelar” o novo contorno proporcionado pela cirurgia.
4-Drenagens linfáticas são grandes aliadas nessa luta e podem ser muito utéis. Veja com sua cirurgiã quantas sessões devem ser feitas e quando podem ser iniciadas. As drenagens são parte essencial do tratamento em cirurgias como lipoaspiração e lipoescultura.
5-Em alguns casos, como na cirurgia das pálpebras, é recomendável o uso de compressinhas geladas nos primeiros dias de pós-operatório para reduzir o inchaço da região.
6-Tenha PACIÊNCIA! Por fazer parte de um processo orgânico longo e complexo, o inchaço VAI DEMORAR MESMO a melhorar e isso pode acontecer em 3 meses, 6 meses e até 1 ano! Sabe aquela história que o tempo é o melhor remédio? Aqui isso se aplica…
7-Mantenha sua cirurgiã informada sobre o que acontece com você e obedeça o que for orientado. A confiança no tratamento faz toda a diferença para o sucesso da sua cirurgia.

Gostou? Tem alguma dica que você já experimentou para desinchar?Conta pra mim! Converse com sua cirurgiã plástica!

Vamos falar sobre abdominoplastia?

 

Conversando sobre as indicações, a cirurgia e o que se pode esperar desse procedimento-desejo de tantas mulheres (e homens!)!

Dra, eu desejo…

Ano novo, vida nova!

Já imaginou que legal seria se existisse uma máquina que te fornecesse a cinturinha de pilão ou a barriga chapada daquela musa fitness, ou o narizinho empinado daquela atriz famosa, ou o peitoral definido daquele ator badalado?

Seria o máximo, né?

E é assim que muita gente enxerga a cirurgia plástica…quase como se a cirurgiã fosse uma maga suprema capaz de realizar os desejos de seus pacientes! Uma pena que não funcione exatamente assim!

Claro que, quando falamos de mudanças e de reparação da forma e da função corporal, a cirurgia plástica é a especialidade da medicina capaz de ajudar sim e muito! Mas a ciência não faz tudo sozinha…

Em primeiro lugar, precisamos entender que cada indivíduo vai ter uma base óssea (que também contribui para a forma corporal), e uma qualidade de pele (mais flácida, mais tonificada…), influenciada por uma herança genética e por um estilo de vida muito próprios de cada pessoa… por isso, cada um vai alcançar um resultado diferenciado (mais ou menos satisfatório com a cirurgia) e extremamente individualizado…não é como uma linha de produção em massa!

O paciente que busca pela cirurgia plástica deve compreender, acima de tudo, que a cirurgia tem que ser encarada como o complemento ou o pontapé inicial pra aquela pessoa que se comprometeu com um estilo de vida saudável!!! Afinal, depois da cirurgia, o resultado alcançado pela ciência deverá ser mantido e melhorado (por que não?) por você (com alimentação equilibrada, atividade física, hábitos saudáveis). Infelizmente, a cirurgiã não é a maga suprema dos quadrinhos que trabalha sozinha…nesses casos, médico e paciente são parceiros se comprometendo e trabalhando juntos!

Então, desconfie se te falarem que “o peito nunca mais irá cair com essa cirurgia” ou “você nunca mais vai engordar com essa lipo” ou “vai ficar igual ao da atriz famosa”.

Além do que, falamos de cirurgia e de medicina, e obviamente isso não é como um “tapa no visual”…implica na existência de riscos cirúrgicos, anestésicos, benefícios, necessidade de cuidados pós-operatórios, investimento financeiro, psicológico, emocional…e portanto, tudo isso deve valer a pena…por isso, a necessidade de discutir previamente com sua cirurgiã o que lhe incomoda, o que pode ser feito, quais os benefícios e limitações, as indicações dos procedimentos, como será o pós-operatório, medidas de segurança…o que somente a especialista em cirurgia plástica poderá discutir, com toda preparação necessária, com você!

Conscientização é o primeiro passo para o sucesso de uma cirurgia!

Então, vem conversar com a sua cirurgiã plástica!

Vai ser um prazer te receber!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

O que não pode faltar para sua abdominoplastia?

Você está super ansioso(a) se preparando para sua abdominoplastia e não sabe exatamente o que será necessário para o seu pós-operatório. Então, aqui vão algumas dicas de itens que devem ser incluídos no seu planejamento e que vão ajudar (e muito!) nessa fase:

  1. Malha cirúrgica/ malha compressiva/ malha pós-operatória: o uso desse item no pós-operatório é essencial, pois diminui o inchaço e ajudar a moldar a área operada, facilitando a cicatrização, além de dar apoio e conforto ao paciente; em geral, ela será utilizada por até 60 dias após a cirurgia;
  2. Meias antitrombo: item de segurança utilizado durante a cirurgia e nas primeiras semanas que seguem, para prevenir a trombose venosa profunda e a embolia pulmonar.
  3. Travesseiros triangulares: item para seu conforto! Acredite, essa dica você vai agradecer quando tiver que dormir mantendo a posição “curvada” e não precisar colocar uns cinco travesseiros nas costas pra dar altura…
  4. Órtese de umbigo: utilizada no pós-operatório quando as feridas já estiverem cicatrizadas, para modelar e deixar fundinho o umbigo, evitando o estreitamento do orifício umbilical, além de melhorar o aspecto da cicatriz neste local.
  5. Óleo à base de ácidos graxos essenciais: excelente para pele quando cicatrizada (ou quase cicatrizada); são absorvidos pela pele, formando uma camada de proteção que hidrata e facilita/ melhora a cicatrização.

É isso…gostou?

Não esqueça que cada profissional conduzirá o pós-operatório de suas cirurgias como julgar mais adequado a um resultado satisfatório, o que não impede você de se informar antecipadamente e conversar com a(o) sua(seu) cirurgiã(o) sobre os itens do seu planejamento!

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

Dra, a senhora faz hidrolipo???

Pergunta frequente no consultório de cirurgia plástica!

Descubra neste vídeo por que, na cirurgia plástica, não fazemos hidrolipo, mas sim lipoaspiração!

Espero que gostem!

Ainda com dúvidas?

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

 

 

 

 

Correr pra quê mesmo???

O ano voando…e na correria da vida moderna, você cuida da casa, do(a) companheiro(a), do emprego fora, e da lista enorme de afazeres que acumulamos. É minha amiga(o), falta tempo!!! E acredite: você não está sozinho(a)!!!

Mas, no mês dedicado à prevenção do câncer de mama – o famoso outubro rosa, uma notícia que não é nova vem lembrar a importância de arrumar um tempo para atividade física nas nossas vidas.

Diversas pesquisas demonstram (há praticamente uma década) que a atividade física pode diminuir o risco de câncer de mama (e também de outros tumores!), mesmo quando o indivíduo apresenta sobrepeso!

A atividade física realizada de maneira correta controla o peso, ajuda a manter o funcionamento do intestino e reequilibra os hormônios que poderiam estimular o desenvolvimento de tumores. Também melhora o nosso sistema imunológico, fazendo com que o organismo esteja mais apto a impedir as células cancerígenas de aparecerem.

O melhor é que esses benefícios não se restringem a prevenção do câncer de mama, mas também parecem reduzir o risco de tumores de endométrio, próstata, rim, pâncreas, intestino e bexiga!

Aí você pensa: “Ah, mas eu não quero fazer esporte, academia…” ok, meu amigo(a), mas essa prática não se restringe a prática de esportes ou exercícios pesados. Comece fazendo caminhadas, preferindo as escadas, indo a pé para o trabalho ou passeando com o cachorro…sim, já é um começo!

O que se recomenda são 75 minutos (ou 1h e 15 min) de atividade intensa por semana ou 150 minutos (2h e 30 min) de atividade moderada por semana. Isso quer dizer aquela velha história de caminhar meia hora todo dia sabe…

E se engana quem pensa que a atividade física pode ajudar somente quem ainda não teve nenhum tumor! Mesmo aqueles que já desenvolveram o problema e se encontram em tratamento são beneficiados por esse hábito, além de auxiliar em questões como autoestima e superação da doença!

É isso!!!E agora que você já sabe…tá esperando o quê pra calçar o tênis???