Mamas diferentes após a gestação: Descubra como a cirurgia plástica pode ajudar você a solucionar essa situação

Suas mamas ficaram diferentes uma da outra após a gestação? O seu bebê só gostava de mamar de um lado e a mama “preferida” caiu mais ou ficou mais “murcha” em relação ao outro lado?

Embora um certo grau de diferença no formato e tamanho das mamas seja normal e aceitável, as mudanças desencadeadas pela gestação podem tornar essa diferença (de formato, tamanho, flacidez, posição) mais perceptível e incômoda!

Nesses casos, a cirurgia plástica pode ajudar a suavizar essa diferença e retomar a harmonia desta parte tão importante do corpo da mulher.

Em primeiro lugar, você deve saber que é necessário aguardar de três a seis meses após o fim da amamentação para realizar qualquer cirurgia na região. Isso garante que os níveis hormonais tenham sido normalizados, e que as alterações das mamas tenham se estabilizado (para melhor ou para pior).

Muitas são as opções cirúrgicas dentro da plástica que podem suavizar essa diferença e a opção para correção dependerá do tipo e tamanho das mamas da paciente.

Se a queixa maior é a queda das mamas em intensidades diferentes, mas o volume das mesmas é satisfatório e agrada a paciente quando posicionadas dentro do sutiã, a cirurgia terá como foco levantar as duas mamas, retirando um pouco mais de pele de um lado que do outro.

Se o que incomoda são os tamanhos diferentes das mamas, pode ser necessário o uso de próteses para deixar os volumes bem semelhantes; ou levantar as duas, reduzindo mais o tamanho da mama maior, para tornar as duas mais proporcionais.

Somente a(o) cirurgiã(o) plástica(o) será capaz de avaliar e dizer qual o tratamento mais adequado ao seu caso, considerando a sua anatomia, expectativas e desejos. Uma preparação prévia ao procedimento será orientada pela sua cirurgiã, como a hidratação do local a ser operado e atividade física, que  podem contribuir para resultados mais duradouros.

Ainda com dúvidas?
Converse com sua cirurgiã plástica! Vai ser um prazer te receber!

Quer mais dicas? Acesse www.rayssasauaia.com.br

Dra, minha flacidez abdominal me incomoda!

Quando a questão é correção de flacidez abdominal, muitas pacientes acreditam que podem escolher qual tipo de procedimento gostariam de realizar e, nesse caso, a mini abdominoplastia é sempre a escolha por ter uma cicatriz menor como resultado. Entretanto, embora a opinião de nossas pacientes seja super válida e importante, cada corpo terá uma indicação que deverá ser respeitada! Essa indicação deve passar pela avaliação de um especialista em cirurgia plástica, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A mini abdominoplastia é, em geral, indicada para aquela paciente “magra com barriga”. São pacientes que engordaram pouco na gestação (de 8 a 10kg) e que possuem flacidez abdominal frontal, localizada abaixo do umbigo. Essa cirurgia retirará uma quantidade de pele menor que a abdominoplastia convencional e tratará o músculo do abdome (que ficou separado após a gestação) somente na região abaixo do umbigo, podendo reposicionar o umbigo em uma posição um pouquinho mais baixa que a original. Logo, a cicatriz resultante é menor (geralmente entre as coxas) porque estamos tratando flacidez de pele localizada e em menor quantidade.

Já a abdominoplastia convencional é indicada para aquelas pacientes que engordaram mais na gestação (de 15 a 20kg) ou tiveram grandes variações do peso corporal, em que o abdome passou por distensões e o músculo da região ficou bastante separado. Essa cirurgia retirará toda a pele abaixo do umbigo, tratará o músculo do abdome em toda sua extensão e manterá o umbigo na posição original. A cicatriz da abdominoplastia convencional logo será maior (de “ponta a ponta”, mas disfarçada na área das peças íntimas) porque trata uma flacidez de pele maior.

Viu como é diferente?

Ainda com dúvidas? Então converse com a sua cirurgiã plástica!