As Principais Perguntas sobre Dreno Pós-Operatório que Você Queria Fazer (E não fez!)

Sabe aquelas perguntas sobre dreno pós-operatório que você queria fazer e não fez?

(Porque teve vergonha, esqueceu ou não deu tempo).

Fizemos uma lista das principais questões!
(Com respostas!)

1)Dreno…afinal, para que serve isso?
O dreno pós-operatório, em geral, é um tubinho de plástico ligado a um frasco coletor que serve para retirar os líquidos retidos dentro da ferida operatória (sangue ou outras secreções).
Isso impede que as secreções presas acabem por infectar a área operada. Por isso, tão importante…

2)Quanto tempo vou ficar com o dreno?
Normalmente, o uso do dreno é interrompido quando não há mais saída de secreções.
Uma semana costuma ser suficiente para retirá-lo, mas existem variações.

3)Dói quando tira?(pergunta campeã!)
Eu não sei porque tanta paciente acha que o dreno dói para ser retirado…
Gente, relaxa, não dói.

4)Em quais cirurgias plásticas ele é necessário?
Sempre que o cirurgião julgar que haverá maior quantidade de secreções a serem drenadas.
Ele costuma ser utilizado em abdominoplastias, mamoplastias e até lifting faciais.

5)Vou dormir com isso?
Sim, e banhar, e andar…o dreno será seu fiel companheiro nos primeiros dias pós-operatório e exige cuidado e atenção como os antigos “tamagotchi” (aqueles bichinhos de estimação virtuais…
olha eu revelando minha idade kkkk).
O dreno deve ser mantido sempre com o clampe (uma trava no tubo) aberto e em posição abaixo do nível da ferida (para facilitar
a descida dos líquidos por gravidade). Também importante ver se o tubo não está dobrando e impedindo a descida.
Carregue o dreno junto ao corpo e cuidado se for pendurá-lo na hora do banho pra não esquecer, sair andando e arrebentar o ponto de fixação.

6)Eu pendurei no banho, esqueci, sai andando e arrebentou (Pois é)…e agora?

NÃO tente recolocar o dreno no lugar. Entre em contato com sua cirurgiã ou procure um pronto-atendimento de cirurgia.

7)Dra tenho muita preocupação com a limpeza da minha cirurgia. Posso lavar meu dreno?
NÃO. Você pode até higienizá-lo por fora com álcool a 70%, mas não lave nem coloque nada dentro do seu dreno. O mantra dos drenos é “ESVAZIAR, FECHAR, ANOTAR” (tipo “comer, rezar, amar” dos drenos).

8) Como assim Dra esvaziar? fechar? anotar?
Calma, menina. Separei um vídeo aqui pra facilitar essa parte.
O débito dos drenos (nome chique para “o quanto saiu de líquido) deve ser anotado todos os dias, pelo menos 2 vezes ao dia (podendo aumentar se estiver saindo mais líquido).
Para isso, você seguirá a sequência do vídeo:
-Fechar com o clampe o seu tubinho de plástico (sim, você estará de luvinhas);
-Abrir a tampinha do coletor;
-Despejar o conteúdo num copinho descartável e medir com uma seringa de 20mL quanto saiu;
-O conteúdo das seringas você jogará no vaso sanitário (melhor…);
-Não esquecer de anotar dia, horário e quanto saiu;
-Apertar o coletor e fechar a tampinha (cuidado pra não apertar com força e espirrar restinhos no coleguinha do lado que está cuidando de você);
-Soltar o clampe pro tamagotchi funcionar…

9)Cadê o vídeo Dra?
Tá no começo desse post…senta que lá vem mais história!kkk

Você tem mais alguma pergunta? Manda pra mim!
Vai ser um prazer conversar com você!

 

Os Erros que Você está Cometendo e Influenciam o Resultado da Sua Cicatriz.

Como você cuida da sua cicatriz? Será que você comete esses erros? Então, dá uma olhada aqui pra ver se você faz isso:

Erro nº1 – Movimentar excessivamente a região da cicatriz: movimentos repetidos ou tensões (esticar, forçar, colocar peso) na região da sua cicatriz podem resultar em uma cicatriz mais larga e esteticamente incômoda. Por isso, evite movimentar regiões operadas principalmente nos primeiros 15 dias e força-las por até 3 meses. Isso ajudará a constituir uma cicatriz mais fininha e agradável.
Erro nº2 – Aplicar aquele creminho ou produto que sua amiga/vizinha/parente te indicou: inúmeros são os produtos no mercado que prometem deixar a sua cicatriz maravilhosa, mas
somente o profissional estudioso das feridas (no caso, o cirurgião plástico) poderá te indicar o que é mais adequado ao seu caso. Observo muitos pacientes gastando bastante com produtos que não vão fazer diferença na evolução final da cicatriz. Então, consulte sua cirurgiã sobre o que ela acha mais interessante utilizar e evite gastos desnecessários.
Erro nº3 – Tomar sol: Sim, tomar sol quando se tem uma cicatriz em evolução é um erro muito comum e menosprezado. Mas, principalmente nos primeiros seis meses, esse ato simples pode
deixar sua cicatriz com manchas escuras, difíceis de serem tratadas e atenuadas!Por isso, evite o sol de maneira geral (e não só no lugar específico da cicatriz!) e utilize o
protetor solar (em rosto, braços e TODAS as áreas fotoexpostas).

Gostou? E você? Qual desses erros você cometia e nem sabia que influenciavam a sua cicatrização? Conta pra gente!

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia
#cirurgiaplastica
#trasformandoarteemsaude
#cirurgiaplasticanomaranhao
#cirurgiaplasticaemsp

Dra, eu virei um balão!!! Como desinchar no pós-operatório de cirurgia plástica?

Em primeiro lugar, você deve entender que o inchaço é um efeito completamente normal após uma cirurgia plástica. Toda cirurgia representa um trauma ao organismo, o que gera uma resposta inflamatória no corpo que resulta no inchaço. Essa resposta também é
individualizada para cada paciente, o que significa que alguns podem inchar mais do que outros (principalmente nos primeiros 21 dias). Mas não se preocupe, você não ficará assim para sempre…e aí vão 7 dicas que podem aliviar esse processo:
1- Evite calor, fogão e banho quente: o aumento da temperatura local pode piorar o inchaço; portanto, evite lugares e banhos quentes.
2-Cuidado ao consumir alimentos ricos em sal/sódio, como enlatados,embutidos e o sal propriamente dito. Procure ter uma alimentação saudável e beber bastante água, para “limpar” o organismo e diminuir a retenção de líquidos.
3-Use a malha cirúrgica por, pelo menos, dois meses após a cirurgia (retirar somente para tomar banho): ela não só ajuda a diminuir o inchaço, como também a “modelar” o novo contorno proporcionado pela cirurgia.
4-Drenagens linfáticas são grandes aliadas nessa luta e podem ser muito utéis. Veja com sua cirurgiã quantas sessões devem ser feitas e quando podem ser iniciadas. As drenagens são parte essencial do tratamento em cirurgias como lipoaspiração e lipoescultura.
5-Em alguns casos, como na cirurgia das pálpebras, é recomendável o uso de compressinhas geladas nos primeiros dias de pós-operatório para reduzir o inchaço da região.
6-Tenha PACIÊNCIA! Por fazer parte de um processo orgânico longo e complexo, o inchaço VAI DEMORAR MESMO a melhorar e isso pode acontecer em 3 meses, 6 meses e até 1 ano! Sabe aquela história que o tempo é o melhor remédio? Aqui isso se aplica…
7-Mantenha sua cirurgiã informada sobre o que acontece com você e obedeça o que for orientado. A confiança no tratamento faz toda a diferença para o sucesso da sua cirurgia.

Gostou? Tem alguma dica que você já experimentou para desinchar?Conta pra mim! Converse com sua cirurgiã plástica!

O que não pode faltar para sua abdominoplastia?

Você está super ansioso(a) se preparando para sua abdominoplastia e não sabe exatamente o que será necessário para o seu pós-operatório. Então, aqui vão algumas dicas de itens que devem ser incluídos no seu planejamento e que vão ajudar (e muito!) nessa fase:

  1. Malha cirúrgica/ malha compressiva/ malha pós-operatória: o uso desse item no pós-operatório é essencial, pois diminui o inchaço e ajudar a moldar a área operada, facilitando a cicatrização, além de dar apoio e conforto ao paciente; em geral, ela será utilizada por até 60 dias após a cirurgia;
  2. Meias antitrombo: item de segurança utilizado durante a cirurgia e nas primeiras semanas que seguem, para prevenir a trombose venosa profunda e a embolia pulmonar.
  3. Travesseiros triangulares: item para seu conforto! Acredite, essa dica você vai agradecer quando tiver que dormir mantendo a posição “curvada” e não precisar colocar uns cinco travesseiros nas costas pra dar altura…
  4. Órtese de umbigo: utilizada no pós-operatório quando as feridas já estiverem cicatrizadas, para modelar e deixar fundinho o umbigo, evitando o estreitamento do orifício umbilical, além de melhorar o aspecto da cicatriz neste local.
  5. Óleo à base de ácidos graxos essenciais: excelente para pele quando cicatrizada (ou quase cicatrizada); são absorvidos pela pele, formando uma camada de proteção que hidrata e facilita/ melhora a cicatrização.

É isso…gostou?

Não esqueça que cada profissional conduzirá o pós-operatório de suas cirurgias como julgar mais adequado a um resultado satisfatório, o que não impede você de se informar antecipadamente e conversar com a(o) sua(seu) cirurgiã(o) sobre os itens do seu planejamento!

Converse com sua cirurgiã plástica!

#rayssasauaia

#cirurgiaplastica

#transformandoarteemsaude

#cirurgiaplasticaporamor

Dra, feijoada pode?

Você fez um jejum de 12h antecedendo a sua cirurgia (inclusive de água!) e “acorda” da anestesia sentindo fome. E agora? Como deve ser a alimentação no pós-operatório? O que está liberado? Feijoada pode? Essas são dúvidas muito comuns de nossas pacientes no cotidiano cirúrgico.

Dependendo da anestesia e do porte da cirurgia, uma dieta mais leve estará indicada no primeiro dia (sopa, água, gelatina, bolachas, chá, frutas), respeitando um intervalo de tempo após o término do procedimento, afim de que a(o) paciente esteja completamente acordada(o) antes de iniciar a alimentação. A alimentação deve ser iniciada de forma progressiva, com quantidades crescentes de líquidos e, em seguida, de sólidos, pois podem surgir náuseas nas primeiras 48h.

Sempre digo às pacientes que devem seguir uma alimentação “saudável” no pós-operatório, para repor as perdas do intra-operatório, diminuir o inchaço, facilitar o trânsito intestinal e auxiliar uma cicatrização adequada. Para isso, algumas dicas são fundamentais:

-Beber bastante água (no mínimo, 8 copos por dia): para compensar a perda de líquidos, hidratar o organismo e diminuir o inchaço; nesse sentido, a água de coco, rica em nutrientes também pode ser utilizada; Refrigerante não vale para hidratar (além de dar gases), tampouco os sucos artificiais/ de caixinha/ pacote (esses têm mais açúcar que os refris); dê preferência aos sucos naturais com moderação.

-Evitar a ingestão excessiva de sal, para que o sódio presente em sua composição e responsável pela retenção de líquido, não piore o inchaço; cuidado nesse sentido com os embutidos, defumados e molhos prontos;

-Evitar alimentos fermentativos que piorem os gases: é natural uma lentificação do trânsito intestinal após a cirurgia, com a retenção de gases, o que pode piorar com a ingesta de alimentos fermentativos; feijão, lentilha, grão-de-bico, repolho e massas são exemplos destes que podem intensificar o inchaço da barriga, gerando dor e desconforto abdominal, principalmente nos primeiros dias;

-Evitar bebidas alcoólicas, principalmente no primeiro mês de pós-operatório, para que não ocorra maior retenção líquida, com piora do inchaço pós-operatório; além de se tratar de fonte de caloria vazia (só engorda, sem trazer nutrientes relevantes para o organismo);

-O consumo de camarão deve ser evitado principalmente nos primeiros 21 dias: pois é!e isso não é só um mito popular (já existem estudos)! Esse alimento contém substâncias que estimulam um estado pró-inflamatório da pele, o que pode não só atrapalhar a cicatrização, mas também estimular a formação de quelóides e cicatrizes hipertróficas/altas; Alimentos ricos em acúcares e gorduras trans, como doces, salgadinhos, sorvetes, biscoitos recheados, fast food, congelados e carnes gordas também são patrocinadores da inflamação e devem ser evitados;

-Alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas (laranja, morango, acerola, kiwi), brócolis, espinafre, tomate e pimentão, são essenciais a formação de colágeno e a cicatrização, além de reforçar o sistema imunológico;

-As carnes brancas e as vermelhas magras contém proteínas, ferro e zinco (também presente em castanhas e nozes), que auxiliam a formação de colágeno e a cicatrização;

Lembrando sempre que a cirurgia plástica deve ser sempre encarada não como uma solução mágica, mas como parte de um programa de vida saudável, que certamente incluirá uma alimentação equilibrada e prática de atividades físicas, visando não só a beleza física, mas sobretudo saúde e qualidade de vida!

Ainda restam dúvidas? Converse com sua cirurgiã plástica!